Home / Health ARQ / Construção / Obras do Instituto da Mulher e Criança no MS começam em setembro

Obras do Instituto da Mulher e Criança no MS começam em setembro

As obras do Instituto da Mulher e da Criança vão começar em setembro deste ano. A expectativa é da reitora da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Liane Maria Calarge, que no último sábado, recebeu do governador o termo de compromisso para a doação terreno para a Universidade construir a unidade. De acordo com a superintendente do Hospital Universitário de Dourados, Mariana Croda, o termo é de fundamental importância e a garantia de que a obra poderá ser construída.

A área que fica ao lado do Hospital Universitário será destinada à construção do Instituto, que será um hospital voltado para atendimentos de mulheres e crianças de toda a região da Grande Dourados com serviços nas áreas de ginecologia, obstetrícia pediatria e neonatalogia.

Os investimentos para a construção são provenientes de emendas parlamentares e contrapartida da UFGD. O total recursos de emendas será da ordem de R$ 6 milhões, recursos de deputados e senadores da bancada federal de MS.

A unidade de saúde, que será construída em anexo ao prédio do Hospital UFGD, terá um edifício com 8,7 mil metros quadrados construídos, com subsolo e mais quatro pavimentos, dotados de consultórios de ginecologia e obstetrícia, banco de leite, consultórios de pediatria, Pronto Atendimento Pediátrico (PAP) e salas das residências.

A nova unidade materno infantil deverá entrar em funcionamento em duas etapas. Na primeira, será contemplado o Serviço de Obstetrícia. As instalações terão 35 leitos de internação, Centro de Paro Normal com cinco quartos PPP (Pré-parto, Parto e Pós-parto), Pronto Atendimento Obstétrico com três consultórios e cinco leitos de observação, e Centro Obstétrico com quatro salas cirúrgicas e cinco leitos de RPA (Recuperação Pós-Anestésica).

Para a segunda etapa está prevista a implantação do Serviço de Neonatologia/Pediatria (Cuidados Intensivos), com 20 leitos de UTIN (Unidade de Terapia Intensiva Neonatal), 30 leitos de UCINCo (Unidade de Cuidados Intermediários Convencional), dez leitos de UCINCa (UCI Canguru) e 20 leitos de UTIP (UTI Pediátrica).

A nova unidade atenderá uma população estimada em mais de 800 mil habitantes, suprindo uma demanda de benefícios à saúde feminina e infantil. Além disso, a unidade vai hospedar um centro de pesquisa, ensino e formação de novos médicos.

Sobre

Veja também

Obras de reforma do Hospital Regional de Gurupi passam por vistoria

Como parte da implantação do Plano Diretor Estratégico (PDE) no Hospital Regional de Gurupi, o …