Rio Grande do Sul ganhará centro de hematologia e oncologia


O ministro da Saúde, Ricardo Barros, participou da inauguração do novo Centro Obstétrico do Hospital Nossa Senhora da Conceição, onde visitou a ala de oncologia. Na ocasião, o ministro anunciou autorização para lançamento do edital de construção do Centro de Hematologia e Oncologia do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), com investimento de R$ 100 milhões e 94 leitos.

Com o novo Centro de Hematologia e Oncologia há previsão de aumento de 30% das consultas, 50% nas sessões de quimioterapia e 50% em relação aos procedimentos ambulatoriais de alta complexidade. O centro oferecerá também sessões de radioterapia,  contará com uma ala de reabilitação e outra de prevenção.

Já o novo Centro Obstétrico do Hospital Conceição terá 1.102 leitos com a expectativa de realizar 4 mil partos por ano, com o processo de atendimento das gestantes e bebês reformulado de acordo com o que preconiza a Rede Cegonha (RDC) do Ministério da Saúde.

Durante a inauguração do centro obstétrico, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, reforçou que a sua gestão tem sido muito austera com uma economia de R$ 3,5 bilhões reinvestidos em mais saúde para a população. “Aqui, neste novo espaço, poderão ser realizados 4 mil partos por ano e também estamos anunciando o edital de construção da ala de hematologia e oncologia, o chamado Hospital do Câncer. Já são R$ 33 milhões de recursos na conta e a bancada federal se comprometeu a colocar os recursos de emenda impositiva que são mais R$ 70 milhões para o prédio e equipamentos, priorizando a obra. Dessa forma, vamos iniciar e terminar uma grande estrutura para atendimento de câncer voltado para a população gaúcha”, disse o ministro.

Na ocasião, o ministro também anunciou R$ 8 milhões em recursos Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS) para uma consultoria de gestão com hospitais de excelência na saúde da capital gaúcha. Ricardo Barros também citou a UPA ampliada, solicitada pela prefeitura de Porto Alegre, com previsão de custeio de R$ 6 milhões por ano. Também citou o tomógrafo para o Hospital Fêmina do grupo GHC. Para o município de Santa Rosa, o ministro destacou o montante de R$ 1,8 milhão, em recursos mensais, para a média e alta complexidade. Também foi ressaltado pelo ministro o montante de R$ 8 milhões em portarias da Atenção Básica, que devem ser assinadas ainda este mês para todo o Rio Grande do Sul.

Ainda em Porto Alegre, o Ministro da Saúde participa do lançamento do projeto Teleoftalmo – Olhar Gaúcho, que faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), no Hospital Restinga e Extremo-Sul.

CENTRO DE HEMATOLOGIA – O Grupo Hospitalar Conceição, que já conta com vários serviços, está ampliando a sua área de oncologia. O novo Centro de Hematologia e Oncologia, deverá ser construído em um prazo de três anos. Após concluído, a unidade fará transplante de medula e radioterapia. Com o novo centro, será possível atender 1.800 pacientes em radioterapia, bem como realizar 80 transplantes de medula e 600 reabilitações por ano. Estimativas indicam que um em cada 4 pacientes, que entra na emergência do GHC, tem diagnóstico de câncer.

Das 57 mil pessoas internadas por ano no GHC, um em cada 4 pacientes dá entrada na emergência com diagnósticos relacionados ao câncer. No GHC, cerca de 3 mil casos novos de câncer são diagnosticados por ano, oriundos, principalmente, da capital e região metropolitana, além dos atendimentos das outras regiões do estado. “O novo centro vai garantir atendimento a um maior número de pacientes e ampliar serviços de saúde, como as sessões de radioterapia, reabilitação de pacientes com câncer e também a realização de transplante de medula óssea, além de serviços da especialidade em hematologia. Tudo isso pelo SUS”, reforçou o ministro.

Do total de recursos necessários para a obra, R$ 33 milhões já estão disponíveis no orçamento do GHC. Com relação ao restante (R$ 67 milhões), o Grupo ainda busca fonte de recursos, que podem vir de emendas parlamentares. O anúncio da autorização para o edital contou com a participação de integrantes da frente parlamentar, que atua em prol da construção do Hospital do Câncer no GHC e tem a adesão de toda a bancada gaúcha, além do apoio de 226 deputados federais.

O GHC oferece diversas especialidades, com 100% do atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS). É composto por quatro hospitais; 12 postos de Atenção Básica e Saúde da Família; um Consultório de Rua; três CAPS (Centro de Atenção Psicossocial); UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde. Ao todo, o grupo conta com 1.700 leitos. O grupo já recebeu R$ 50 milhões do Ministério da Saúde em 2016, sendo que neste ano deverá R$ 68,28 milhões.

TELEOFTALMO – Durante a visita a Porto Alegre, o Ricardo Barros participou da cerimônia de lançamento do Projeto Teleoftalmologia no Hospital Restinga e Extremo-Sul. O projeto, que é coordenado pelo Hospital Moinhos de Vento, faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS). A ação tem como objetivo agilizar o acesso da população ao diagnóstico de oftalmologia e reduzir a fila de espera por consultas especializadas na região. Está previsto no projeto a implantação de uma rede de atenção especializada oftalmológica constituída por uma central de comando e sete consultórios remotos equipados, distribuídos pelo interior do Estado do Rio Grande do Sul.

Artigo Anterior Projeto do hospital universitário de São Carlos economizará 18% de energia
Próximo Artigo Fabricio Avini, CEO da Salux, está confirmado no Fórum Health-IT