Maternidade do Hospital Municipal Carlos Chagas completa um ano de bons resultados


Desde que a Fundação São Francisco Xavier (FSFX) assumiu a gestão do Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC), a abertura da maternidade era uma grande expectativa dos moradores de Itabira e região. E, depois de um ano, comemora os resultados e avanços alcançados como referência para 12 municípios da microrregião.

Para garantir o bem-estar das futuras mamães e seus filhos, o local passou por grandes mudanças. Foram investidos mais de R$ 500 mil em infraestrutura e equipamentos, conforme ressalta o superintendente administrativo, Marcelo Bouissou de Souza. “As melhorias permitem que a grávida seja acompanhada pelos seus familiares em todos os momentos da internação, deixando-a mais segura. Outra iniciativa foi incentivar a gestante e seus acompanhantes a visitarem a maternidade para conhecer o fluxo de atendimento e diminuir a ansiedade das futuras mamães, estreitando os laços entre a população e o hospital”, pontua.

A Maternidade do HMCC foi criada em espaço reservado e dispõe de consultório médico, sala de classificação de risco, sala de observação, sala de atendimento às urgências obstétricas e neonatais, e sala cirúrgica para procedimentos obstétricos.  Funciona 24 horas por dia durante os sete dias da semana. Em julho de 2017, a taxa de parto normal chegou a 67,34%, com 100% dos cartogramas preenchidos, que é uma das melhores práticas em obstetrícia recomendadas pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a superintendente de Assistência, Ana Rosa dos Santos, um dos grandes diferenciais do atendimento do setor está no acolhimento e na garantia do bem-estar do binômio mãe-filho. Principalmente, na chamada Sala de PP (Pré-parto e Parto), que dá suporte às parturientes que irão ter parto normal, e no Alojamento Conjunto, para internações que irão fortalecer o vínculo das mães com o recém-nascido. “Esses locais promovem conforto e o maior contato possível entre a mãe e o bebê, num mesmo ambiente, reforçando os cuidados e a segurança com a saúde”, afirma.

 Um ano sem óbito pediátrico e materno

Além de apresentar índices menores de mortalidade neonatal, do que os previstos pelo Ministério da Saúde, em um ano, a Maternidade do HMCC não registrou nenhum óbito infantil e materno.  Neste período, foram realizados quase 1.300 partos. Destes, 750 foram normais e 541 cesarianas.

O pronto atendimento 24 horas, que atende puérperas e gestantes, inclusive as com complicações na gravidez, realizou 2.061 atendimentos. Foram cerca de 1.800 internações, com uma média de permanência de 01 a 02 dias no último mês (julho). A mamãe e o bebê também recebem cuidados do Serviço Social e de Psicologia durante a internação, com acompanhamento, quando necessário, pela rede pública após a alta.

Equipe

Realizar tantos partos, com segurança e qualidade, só é possível graças ao trabalho de 72 colaboradores capacitados, incluindo médicos obstetras, pediatras e anestesistas, enfermeiros, técnicos em enfermagem e as enfermeiras obstetras – que atuam ativamente durante o trabalho de parto. Oferecer condições de trabalho adequadas para a equipe Materno Infantil é essencial para a FSFX.

Por isso, a Maternidade do HMCC está pautada em protocolos, seguindo os critérios exigidos pelo Ministério da Saúde. Como o da Rede Cegonha que elogiou a estrutura e organização da Maternidade assim como a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais.

A instituição também promoveu o aperfeiçoamento da assistência. “A equipe multidisciplinar passou por um treinamento com a equipe do Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, no qual tiveram a oportunidade de vivenciar as rotinas de uma maternidade de alto risco. Esta qualificação permite desenvolver projetos em prol do vínculo mãe/recém-nascido, contato pele a pele, amamentação na primeira hora de vida e garante os direitos da puérpera e do bebê, como teste do olhinho e teste do coraçãozinho, antes da alta”, acrescenta Ana Rosa.

Projeções e resultados

Agora, o HMCC está implantando a iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), que promove a adoção de práticas que facilitam a amamentação nas maternidades. Duas salas foram destinadas para receber o posto de coleta de leite humano, momento em que a mãe esclarece dúvidas em relação ao desenvolvimento de seu filho e, se desejar, realiza doação de leite, para favorecer outras crianças assistidas no local. Na internação, elas passam por palestra com uma enfermeira sobre amamentação e seus cuidados.

O índice de satisfação dos pacientes do HMCC está acima de 94%, segundo a pesquisa do próprio hospital, por meio da Qualidade no Atendimento (PQAs). Os resultados são acompanhados, mensalmente, pelo Conselho de Saúde Municipal. Por isso, a FSFX comemora junto ao HMCC um ano de bons resultados na maternidade e trabalha para servir a população cada vez mais e melhor.

 

Artigo Anterior II Prêmio Líderes da Saúde Norte e Nordeste é destaque do Direto da Redação desta semana
Próximo Artigo IESS aponta que ¼ dos Estados apresentou crescimento no total de beneficiários de planos de saúde