Home / Health ARQ / Sustentabilidade / Hospital universitário é pioneiro no Maranhão a implantar teto com painéis solares

Hospital universitário é pioneiro no Maranhão a implantar teto com painéis solares

Pensando no aproveitamento da energia solar, abundante no Nordeste brasileiro, o Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA), gerido pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), deu mais um importante passo em direção à sustentabilidade e à economia de recursos públicos.

Em junho, foi instalado um Sistema de Cogeração Fotovoltaica no prédio que abriga os serviços de Engenharia e Tecnologia da Informação. A edificação conta agora com um teto solar, no qual os painéis captam a energia solar, transformando-a em energia elétrica que, depois de sofrer as inversões devidas, é transferida para o quadro elétrico gerando energia limpa.

Dessa forma, o HU-UFMA se configura como o primeiro hospital do Maranhão e o primeiro da rede Ebserh a utilizar um sistema desse porte. Foram instalados cerca de 80 painéis que ocupam uma área aproximada de 130 m² no telhado. Ele tem uma produção diária de aproximadamente 80 a 120kw/h, que no final do mês corresponde a 50% de consumo da energia elétrica do prédio.

O hospital realizou um investimento de R$ 145 mil para execução do projeto, cujo retorno será a médio prazo. O engenheiro do HU-UFMA, Bruno Nobrega, destaca que já existe um planejamento para a instalação de um sistema similar nos prédios do Centro Oftalmológico e do Núcleo do Fígado e Endocrinologia para 2017, com uma expectativa também de economia de 50% de consumo.

Esse tipo de energia é considerado limpo, pois não libera, durante seu processo de produção ou consumo, resíduos ou gases poluentes geradores do efeito estufa e do aquecimento global.

Outras ações
O HU-UFMA iniciou, em outubro de 2015, uma campanha de redução de gastos, já alcançando bons resultados no início deste ano. Foi criado um Plano de Contingência para o hospital englobando diversas áreas da instituição, com foco em sete delas: suprimentos, gestão de contratos, lavanderia, segregação de resíduos, infraestrutura (elétrica), hotelaria e nutrição.

Para cada uma dessa áreas foram pensadas estratégias, com total apoio dos setores envolvidos e amplamente divulgadas junto aos colaboradores para que unidos pudessem ter mais força, alcançando assim as metas esperadas.

 

Sobre

Veja também

Arquiteto Mike Reynolds discute arquitetura ‘Earthship’ em Ribeirão Preto

Ribeirão Preto (SP) será a capital mundial da arquitetura sustentável nos dias 23 e 24 …