Hospital Integrado do Câncer Mater Dei traz novo conceito para atendimento aos pacientes oncológicos


Medical Staff Pushing Patient in Wheelchair

O Hospital Integrado do Câncer Mater Dei – HIC tem um projeto conceitual de linha de cuidados aos pacientes oncológicos de formato único, funcionando dentro de um hospital geral privado. Uma estrutura que permite a centralização de todas as equipes desde a oncologia clínica e radioterapia, até a cirurgia oncológica. Oferecendo assistência na integralidade e possibilitando diagnóstico mais precoce, tratamento mais apropriado para cada paciente, além de realizar o acompanhamento subsequente.

A ideia do projeto foi unir todas as áreas do atendimento oncológico, incluindo o Pronto-socorro oncológico assim como de exames com fluxos bem estabelecidos para os pacientes que precisam de um cuidado especial. “Entregamos aos pacientes um tratamento de forma diferenciada nos diversos serviços acolhendo-os nas várias necessidades que eles possuem”, afirma o diretor de Operações do Mater Dei Contorno, José Henrique Dias Salvador. “O que temos visto é o crescimento do número de pacientes que nos procuram para tratamento do câncer. Percebemos que havia uma demanda dos pacientes para um serviço completo, que pudesse assisti-los em todas as fases do tratamento. O que fizemos foi incentivar a integração de médicos e equipes, das diversas especialidades e departamentos envolvidos, da detecção ao tratamento, o que gerou uma maior assertividade na condução dos casos e maior segurança para os pacientes”, destaca o diretor.

O atendimento do paciente oncológico não é mais só de um médico. De acordo com o oncologista e coordenador do HIC, Enaldo Melo de Lima, é uma “assistência em grupo que conta com oncologista clínico, radioterapeuta, cirurgião, cardiologista, médico intensivista, com o objetivo de dar ao paciente a orientação de programa de rastreamento de diagnóstico e tratamento muito mais apropriadamente bem-feito”.

O médico Enaldo conta que, desde a inauguração, em abril de 2016, o Hospital tem alcançados os melhores indicadores do mundo, considerando o número de pacientes novos atendidos no HIC e o número de pacientes com tratamento sistêmico quimioterapia. “Para se ter uma ideia, no sistema público no Brasil, de cada 100 pacientes que chegam na primeira consulta 70 recebem tratamento sistêmico, em geral quimioterapia. No HIC, de cada 100 pacientes, 30 recebem quimioterapia. Essa diferença é porque aqui você dá um diagnóstico mais precoce, trata melhor o paciente com radioterapia ou com cirurgia, sem a necessidade de chegar na quimioterapia”, explica o oncologista. Ele acrescenta que, além disso, a integração das equipes beneficia o paciente ao mesmo tempo que contribui para o trabalho assistencial, não fragmentando o atendimento. “E, o paciente que é tratado com equipe multidisciplinar se cura em menor tempo”, afirma o médico

Esse novo conceito de tratamento do câncer proporciona um cuidado maior e melhor. Uma assistência completa com um grupo de especialistas que discutem todos os casos para a decisão sobre o programa de tratamento para aquele paciente, a melhor forma de administrar a medicação e o melhor programa de quimioterapia a ser aplicado. De acordo com Enaldo Lima, com o HIC, foram criadas várias equipes multidisciplinares com a discussão, em reunião semanal, de casos específicos das subespecialidades na área de Oncologia.

O HIC também está implantando o controle eletrônico de prescrição de medicamentos. Com isso, a prescrição já chegará finalizada tanto para os especialistas quanto para a farmácia clínica de imediato. Medida que confere mais segurança aos pacientes.

Especialidades do HIC

Cardio-oncologia, Cirurgia de Cabeça e pescoço, Cirurgia oncológica, Clínica da Dor, Ginecologia oncológica, Mater Dei Medicina Diagnóstica, Mastologia, Neuro-oncologia, Oncofertilidade, Oncogenética, Onco-hematologia, Oncologia clínica,  Oncologia cutânea, Oncopediatria PET-CT, Pronto-scorro oncológico, Radioterapia, Unidade de Transplante de Medula Óssea – TMO, Uro-oncologia – Núcleo da Próstata. Além de 52 boxes individualizados de quimioterapia.

Pronto-socorro oncológico

O HIC ainda conta com o Pronto-socorro Oncológico. Primeiro de Minas e segundo do Brasil, o Serviço funciona no Mater Dei Contorno com oncologistas de plantão capazes de acolher os pacientes e conduzirem os casos de forma mais adequada, diminuindo internações e procedimentos desnecessários. Já percebemos uma queda expressiva no número de reinternações, e um aumento da satisfação dos pacientes e dos médicos”, afirma José Henrique.

A estrutura de atendimento 24 horas para o paciente com câncer é um grande diferencial. “Temos todo o apoio da equipe multidisciplinar para atender o paciente de imediato. Um diferencial que salva vidas tanto nas urgências como a longo prazo, com o tratamento iniciado de forma mais precoce, deixando menos sequelas. Os pacientes têm procurado o hospital porque sabem que tem um pronto-socorro oncológico, que o conduz a uma estrutura especializada de atendimento, explica o oncologista, Enaldo. O Pronto-socorro Oncológico funciona 24h, com plantão físico de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Nos demais horários, sobreaviso telefônico para o atendimento. Pronto-socorro Mater Dei Contorno – Avenida do Contorno, 9000.

TMO

Outra novidade é o Serviço de Transplante de Medula Óssea – TMO da Rede, criado para atender à crescente demanda de pacientes que necessitam deste tratamento em Belo Horizonte, e está alinhado aos avanços no diagnóstico e terapêutico já conhecidos, consolidando resposta aos quimioterápicos e permitindo uma sobrevida livre de doença.

O Mater Dei investiu em uma das mais sofisticadas unidades de Transplante de Medula Óssea do país. São sete leitos especiais, cuidadosamente projetados dentro dos padrões de qualidade para o melhor atendimento adulto e pediátrico. Com tecnologia avançada, métodos inovadores e equipe multidisciplinar altamente especializada, o Hospital possui tratamento completo, desde a avaliação pré-transplante até o suporte pós-transplante. “A Rede, inicialmente, fará o transplante autólogo. Método que utiliza as células do próprio paciente e agiliza o processo por excluir a busca da compatibilidade e, consequentemente, o risco de rejeição”, conta a coordenadora do Serviço de Hematologia da Rede, Patrícia Fischer.

A quimioterapia em altas doses seguida por transplante autólogo de células-tronco hematopoéticas – CTH vem se constituindo, ao longo das últimas décadas, em um importante instrumento terapêutico, devendo fazer parte da estratégia de tratamento de número crescente das Neoplasias Hematológicas e Tumores Sólidos. “No transplante autólogo, as CTHs do próprio paciente são removidas em um momento adequado durante o tratamento e reimplantado após altas doses de quimioterapia”, explica a responsável técnica do Serviço de TMO da Rede, Priscila Arcebispo. O TMO do Mater Dei conta com o apoio diagnóstico e terapêutico do HIC e de toda estrutura do Mater Dei Contorno, além da cobertura de especialidades médicas fundamentais para adequada assistência aos pacientes submetidos aos tratamentos hematológicos e oncológicos, garantindo um atendimento de excelência.

Artigo Anterior Brasil expõe na feira mais importante do setor de laboratório no Oriente Médio
Próximo Artigo Produção de petróleo e gás natural registra recorde no Brasil em dezembro