Final de 2016 foi marcado por enxurrada de ciber ataques


Um levantamento da Kaspersky Lab identificou um grande aumento na atividade de cibercriminosos nos últimos meses de 2016. De acordo com a empresa, durante essa época do ano é comum o número de ataques e atividades criminosas digitais aumentarem, mas 2016 foi uma excessão devido ao grande volume de ataques.

Entre 2014 e 2015, foi identificada uma redução na incidência de ataques virtuais envolvendo arquivos maliciosos com foco em sistemas financeiros pelo mundo, porém, entre 2015 e o ano passado, ocorreu uma alta de 22,49%, ou seja, 319.000 pessoas toparam com algum tipo de armadilha durante suas compras.

Os malwares são usados para roubo de valores ou informações financeiras como cadastro e número de cartão de crédito. Mais de 30 famílias de cavalos de Troia direcionados a bancos serviram para esses golpes, mas a Kaspersky notou que Zbot, Nymaim, Shiotob, Gozi e Neurevt foram responsáveis por 92,35% dos ataques no período.

A data de compra que se mostrou mais intensa foi a Cyber Monday. Enquanto Black Friday e Natal causaram movimentação nos dias que as antecediam, com a Cyber Monday os golpes ocorriam na própria data, quando houve duas vezes mais usuários atingidos, em comparação com o dia anterior.

“Essa diferença no comportamento malicioso pode ser explicada pela própria natureza dos eventos. Ao contrário da Black Friday e do Natal, a Cyber Monday envolve principalmente vendas online. Por isso, é mais lógico que os criminosos foquem suas campanhas mal-intencionadas nesta data específica”, explica a empresa.

Artigo Anterior Brasil: perspectivas para o setor de energia em 2017
Próximo Artigo Santa Casa centraliza logística hospitalar em novo complexo no Farol