Campo de Lula bate recorde e já responde por mais de 25% da produção de petróleo do país


A produção total de petróleo e gás natural no Brasil no mês de novembro foi de aproximadamente 3,307 milhões de barris de óleo equivalente por dia. A produção de petróleo totalizou 2,609 milhões de barris por dia, uma redução de 0,6% na comparação com o mês anterior e aumento de 9,6% em relação ao mesmo mês em 2015. Já produção de gás natural totalizou 111,1 milhões de metros cúbicos por dia, o que representa um aumento de 2,4% frente ao mês anterior e um aumento de 18% na comparação com novembro de 2015.

A produção de gás natural superou o recorde anterior alcançado em setembro de 2016, quando foram produzidos 110,4 milhões de metros cúbicos diários. O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás natural, produzindo, em média, 663,2 mil bbl/d de petróleo e 29,2 milhões de m³/d de gás natural. O volume de petróleo foi o maior já produzido em um único campo, superando o recorde anterior alcançado em setembro de 2016, quando Lula produziu 639,7 mil bbl/d.

 

Pré-sal

A produção do pré-sal, oriunda de 68 poços, foi de aproximadamente 1,162 milhão de barris de petróleo por dia e 45,6 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural, totalizando aproximadamente 1,448 milhão de barris de óleo equivalente por dia, um aumento de 1,7% em relação ao mês anterior. A produção do pré-sal correspondeu a 44% do total produzido no Brasil. Os poços do “pré-sal” são aqueles cuja produção é realizada no horizonte geológico denominado pré-sal, em campos localizados na área definida no inciso IV do caput do art. 2º da Lei nº 12.351, de 2010.

 

Queima de gás

O aproveitamento de gás natural no mês alcançou 96,6%. A queima de gás em novembro foi de 3,8 milhões de metros cúbicos por dia, um aumento de 2,9% se comparada ao mês anterior e de 15,5% em relação ao mesmo mês em 2015.

 

Campos produtores

Os campos marítimos produziram 94,5% do petróleo e 76,9% do gás natural. A produção ocorreu em 8.603 poços, sendo 748 marítimos e 7.855 terrestres. Os campos operados pela Petrobras produziram 94,1% do petróleo e gás natural.

Estreito, na Bacia Potiguar, teve o maior número de poços produtores: 1.104. Marlim, na Bacia de Campos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores: 53.

A FPSO Petrobras 58, produzindo nos campos de Jubarte, Baleia Azul, Baleia Anã e Baleia Franca, produziu, por meio de 13 poços a ela interligados, 187,7 mil boe/d e foi a UEP (Unidade Estacionária de Produção) com maior produção.

As bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) produziram 148,5 mil boe/d, sendo 121,5 mil bbl/d de petróleo e 4,3 milhões de m³/d de gás natural. Desse total, 143,9 mil barris de óleo equivalente por dia foram produzidos pela Petrobras e 4,6 mil boe/d por concessões não operadas pela Petrobras, sendo 360 boe/d em Alagoas, 1.672 boe/d na Bahia, 58 boe/d no Espírito Santo, 2.310 boe/d no Rio Grande do Norte e 243 boe/d em Sergipe.

 

Outras informações

Em novembro de 2016, 288 concessões, operadas por 25 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Destas, 80 são concessões marítimas e 208 terrestres. Do total das concessões produtoras, duas encontram-se em atividade exploratória e produzindo através de Teste de Longa Duração (TLD), e outras sete são relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais.

Artigo Anterior Colaboradores do Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem participam diretamente na conquista da Acreditação
Próximo Artigo Santa Casa da Bahia dribla crise do setor filantrópico com gerenciamento de custos