Buscas por sintomas no Google trarão resultados revisados


Google e Einstein ampliam projeto de quadros informativos e incluem painéis sobre métodos contraceptivos

A internet mudou a relação das pessoas com a informação. A um clique de distância, ficou fácil para todos se informarem sobre um determinado assunto. Na saúde, isso não é diferente, e representa uma em cada 20 pesquisas no Google no mundo. A prática mais natural e comum, no entanto, é a busca por sintomas. A partir de hoje, ao pesquisar por “dor no joelho depois da corrida”, por exemplo, um painel informativo de doenças relacionadas, tratamentos, entre outros, será apresentado no resultado; todos revisados por médicos do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo.

Em março do ano passado, o Google e o Einstein lançaram projeto que trazia resultados curados e revisados pelo Hospital para quando as pessoas procurassem por doenças. O anúncio de hoje, expande a iniciativa e passa a oferecer aos brasileiros, informações relevantes e confiáveis verificadas por médicos nas buscas realizadas por sintomas.

“Depois da busca por doenças, era natural que passássemos a oferecer às pessoas esse mesmo resultado quando elas procurassem por sintomas, que é muito mais comum,” explica Berthier Ribeiro-Neto, diretor do Centro de Engenharia na América Latina, em Belo Horizonte.

De fato, cerca de 1% das buscas no mundo é relacionada a sintomas, o que mostra a importância deste novo serviço para as pessoas.

Os nossos engenheiros de Belo Horizonte foram os responsáveis por essa inovação dos resultados nas buscas. O Brasil é o primeiro país a ter a solução totalmente adaptada e localizada para o português, depois do lançamento nos Estados Unidos, em junho de 2016.

Métodos contraceptivos

Além da busca por sintomas, o Google e o Einstein também apresentaram hoje painéis informativos para quando as pessoas buscarem sobre métodos contraceptivos. Da mesma forma, todo conteúdo foi revisado por médicos do Einstein e oferecerá às pessoas mais facilidade para navegar e entender as características de cada método.

“A busca por informação de qualidade melhora a relação médico-paciente e traz eficiência para a consulta. Nada ainda substitui a consulta médica, mas um paciente ativo e consciente é o que buscamos para ter uma sociedade mais saudável”, destaca o Dr. Sidney Klajner, Presidente do Einstein e médico cirurgião.

Ambos os lançamentos ficam disponíveis a partir de hoje para os brasileiros nos dispositivos móveis pelo aplicativo do Google, para Android e para iOS. Os painéis sobre métodos cotraceptivos também poderão ser visualizados no desktop.

Busca do Google em números

– Uma em cada 20 pesquisas no Google são relacionadas à saúde (dados globais)

– Cerca de 1% das buscas no Google são relacionadas a sintomas (dados globais)

– Hoje, há mais de 400 condições disponíveis nos painéis de informações (dados do Brasil)

– O Einstein validou mais de mil consultas para o lançamento da busca por sintomas no Brasil (dados do Brasil)

– Alguns dos sintomas mais buscados (dados do Brasil. Não é um ranking):

  • Garganta inflamada
  • Dor de cabeça
  • Faringite
  • Dor nas costas
  • Dor no peito
  • Hipotermia
  • Taquicardia
  • Dor no estômago
  • Dor na nuca
  • Tontura

– 15% das buscas que vemos todos os dias são novas (dados globais de outubro de 2016)

– O tráfego das buscas nos dispositivos móveis ultrapassou o desktop (dados globais de outubro de 2015)

– Hoje, mais de 100 engenheiros do Google trabalham no escritório de Belo Horizonte.

Artigo Anterior Cientistas criam sistema capaz de "ler" pensamentos
Próximo Artigo Médicos devem respeitar privacidade dos pacientes