Home / Saúde Online / Apneia do sono ganha tratamento com Eletroestimulador

Apneia do sono ganha tratamento com Eletroestimulador

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), aproximadamente 40% da população dorme mal. Entre os principais fatores está a apneia obstrutiva do sono, eventos de pausas de sono com mais de dez segundos. Como consequência do problema, a pessoa que sofre de SAOS (Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono) tem alto grau de risco da ocorrência de infarto agudo do miocárdio e AVC (Acidente Vascular Cerebral). Também pode favorecer o desenvolvimento de síndrome metabólica, com o acúmulo de gordura, alteração do açúcar no sangue e hipertensão arterial.

Pela primeira vez no Brasil, realizamos um procedimento de colocação de eletroestimulador (marca-passo) para tratamento da apneia obstrutiva do sono, que utiliza um dispositivo desenvolvido nos Estados Unidos, com estudo clínico realizado na Bélgica, Itália, Alemanha, Austrália e EUA desde 2009 e que demonstrou eficácia em 77% dos casos.

Dr. Eric Thuler, coordenador do Centro de Tecnologia em Otorrinolaringologiado Hospital Samaritano de São Paulo, em conjunto com sua equipe e auxiliado pelo Dr. Ofer Jacobowitz (EUA), foi o responsável pela realização do procedimento. O especialista explica que há uma relação direta da perda da capacidade de sustentação da musculatura da faringe e da língua na causa da apneia obstrutiva do sono.

O dispositivo foi colocado em caráter de exceção como uso compassivo (produto importado pelo paciente, fabricado pela americana ImThera Medical e importado pela Ciclomed) e ainda não é comercializado no Brasil, mas está disponível na Europa, Ásia e América Latina. “É indicado em casos de falha na adaptação ao tratamento com o CPAP (Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas)”, completa o especialista.

A realização do procedimento e o teste de ativação dão início ao tratamento que ocorreu 30 dias após a realização para aguardar a cicatrização dos tecidos, sendo feita durante um exame de polissonografia. Na sequência, o eletroestimulador é acionado diariamente pelo próprio paciente, por controle remoto, antes de dormir. “O dispositivo não exige manutenção periódica, exceto a bateria que deve ser trocada a cada 15 anos”, explica Dr. Thuler.

Segundo o especialista, acredita-se que o tratamento da apneia do sono por meio da eletroestimulação seja o futuro para o controle desse tipo de doença. “Estamos honrados em realizar a colocação do implante pela primeira vez no Brasil. Acreditamos no benefício que ele trará aos pacientes tanto na qualidade de vida quanto na prevenção de outras doenças relacionadas, como infarto e AVC”.

Sobre a apneia obstrutiva do sono

A apneia obstrutiva do sono caracteriza-se pela obstrução da via aérea na região da faringe. Ocorre durante o sono e ocasiona uma pausa na respiração com duração superior a 10 segundos.

Cada episódio de pausa respiratória é seguido de um microdespertar, podendo ser acompanhado de queda na oxigenação, elevação da pressão arterial e dafrequência cardíaca. Inicialmente, leva à sonolência diurna com aumento do risco de acidentes no trânsito e no trabalho.

Vários episódios podem ocorrer durante a noite, sendo considerado grave o quadro com mais de 30 pausas por hora de sono, elevando o risco da ocorrência de infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC), além de favorecer o desenvolvimento de síndrome metabólica.

Sobre

Veja também

Carlos Eduardo Gouvêa, do IES, fala sobre as ferramentas de Governança e Compliance como estratégia para garantir a sustentabilidade do mercado de saúde

O Brasil avançou rumo a uma maior transparência na área da saúde. É o que …