Novo ciberataque global atinge Brasil

23

Depois do estrago causado no último mês pelo ransomware WannaCry, uma nova ameaça, batizada como “Petya” surgiu hoje. Conforme noticiado pelo New York Times, bancos e empresas europeias, públicas ou privadas, estão sendo afetados por um ataque de ransomware que cobra do usuário US$ 300 em bitcoin para a liberação dos computadores infectados. De acordo com informações apuradas pelo site “Olhar Digital”, instituições brasileiras também podem ter sido afetadas.

Até o momento, o país mais afetado pelo ciber ataque é a Ucrânia, onde diversos bancos e empresas, incluindo o banco central e a empresa estatal de energia, foram atingidos por um “vírus desconhecido”.  A estatal de energia, Ukrenergo, também afirmou ter sido afetada. No entanto, segundo uma declaração enviada pela empresa à Reuters, o ataque não teria impactado a distribuição de energia no país europeu.

 

Brasil

O Hospital do Câncer de Barretos, no interior de São Paulo, teve parte de seus sistemas desligados na manhã desta terça-feira por conta de um ciberataque. De acordo com a assessoria de imprensa da entidade, um boletim de ocorrência foi feito e a equipe de TI do Hospital está investigando as causas do ataque e tentando reverter a situação.

O hospital emitiu um comunicado em seu perfil no Facebook, leia na íntegra:

O Hospital de Câncer de Barretos informa que o seu sistema foi afetado por uma invasão envolvendo hackers na manhã desta terça-feira, 27 de junho. As unidades de Jales (SP) e Porto Velho (RO), além dos Institutos de Prevenção, também sofreram com o ataque. Devido ao incidente envolvendo vírus computacionais, houve a interrupção de alguns processos assistenciais. A instituição está trabalhando para resolver essa situação o mais rápido possível, bem como garantir a segurança dos pacientes.

Ataque Global

Fora da Ucrânia, a empresa dinamarquesa de logística Maersk também foi afetada. A empresa comunicou o ataque por meio de sua conta no Twitter, indicando que seus sistemas de TI “caíram em múltiplos locais e unidades de negócios”, conforme pode se ver abaixo:

O vírus também chegou aos Estados Unidos, onde afetou os escritórios da empresa de direito DLA Piper. No Reino Unido, a maior empresa de propaganda do mundo, a WPP (proprietária de empresas como Ogilvy e Burston-Marsteller) também foi afetada. Em declaração à Reuters, a WPP afirmou que seus sistemas de TI “foram afetados pelo que suspeita-se ser um ciberataque”, e que “está avaliando a situação e tomando as medidas apropriadas”.