H. Adventista de SP inaugura nova UTI

Nova UTI do Hospital Adventista de São Paulo conta com tecnologia de reconhecimento facial e monitoramento por câmeras

87

O hospital Adventista de São Paulo inaugurou, em dezembro de 2017, sua nova Unidade de Terapia Intensiva (UTI), que conta com 18 novos leitos, sendo dois deles, de isolamento. O projeto, que teve quatro meses de duração, contempla muito mais do que somente os aparatos convencionais de uma unidade, levando uma série de tecnologias inéditas para dentro da UTI.

Entre as novidades apresentadas pelo hospital em seu novo projeto está o sistema de abertura de portas baseado em reconhecimento facial, permitindo maior controle de acesso à UTI. De acordo com o gerente de TI da instituição, Fabio Carvalho, a utilização desse tipo de tecnologia não ficará restrita somente às portas do Adventista de SP. “Essa tecnologia de reconhecimento facial estará integrada, também, ao o Prontuário Eletrônico, permitindo aos médicos o rápido e fácil acesso e elegibilidade às informações do paciente.”

Outra novidade apresentada pelo hospital em sua nova UTI é o monitoramento via câmeras IP de alta definição. O equipamento, instalado em cada leito, permite o contato visual da equipe assistencial em tempo integral. Uma das tecnologias embarcadas nas câmeras é um sistema que identifica e alerta o posto de monitoramento caso o paciente faça movimentos bruscos ou esteja próximo à beira da cama, evitando assim o risco de quedas e reduzindo o índice de eventos adversos.

Em seu sistema de centralização de monitoramento, a unidade conta com uma tela de alta definição, em HD, que apresenta todos os indicadores de cada paciente, facilitando a visualização dos dados pelas equipes assistenciais.

Os 18 leitos recém-inaugurados fazem parte do lado B da UTI do Adventista de SP. De acordo com o hospital, o restante da unidade também receberá as novas tecnologias implementadas. “Esta em andamento o processo de implementação da checagem à beira-leito em todas as unidades de internação do hospital”, conclui o CIO”.