Fortaleza ganha novos núcleos de Telemedicina

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Foi inaugurado em Fortaleza (CE) os novos núcleos da Rede Universitária de Telemedicina (Rute), projeto coordenado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e integrado ao programa Telessaúde Brasil Redes. Os beneficiados serão o Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ) e o Hospital Geral César Cals (HGCC), ambos em Fortaleza (CE), e a Maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis (SC).

Com as inaugurações, a Rute passará a ter 91 núcleos inaugurados e em plena operação, localizados em hospitais universitários e de ensino, em todos os estados do Brasil. A rede está integrada ao Programa Telessaúde Brasil Redes, uma iniciativa do Ministério da Saúde que busca melhorar a qualidade do atendimento e da atenção básica no Sistema Único da Saúde (SUS), integrando ensino e serviço por meio de tecnologias da informação para promover a Teleassistência, a Teleducação, a pesquisa colaborativa, a gestão e a avaliação.

Entre outros objetivos, a Rute integra e conecta todos os hospitais públicos universitários e de ensino, cria formalmente núcleos de telemedicina, apoia a realização de videoconferências, análise de diagnósticos, segunda opinião, inclusive formativa, educação permanente, e webconferências entre hospitais universitários e universidades através da RNP, além de permitir a integração com secretarias estaduais e municipais de saúde, unidades básicas de saúde e hospitais do interior.  Atualmente, a Rute possui 57 Grupos de Interesse Especial em várias especialidades e subespecialidades da saúde, com 600 sessões por ano de vídeo e webconferências.

RECONHECIMENTO INTERNACIONAL – Em 2012, a iniciativa recebeu a qualificação de melhor prática em telemedicina pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL). Segundo o coordenador nacional da Rute, Luiz Ary Messina, o fomento a essas ações possibilita o desenvolvimento da educação e da pesquisa, além de facilitar e melhor qualificar a atenção à saúde no país.