União aumenta repasses para construção de hospital na Serra (ES)

0
35

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, estava no Estado para anunciar os recursos e fez uma visita técnica nas obras do novo hospital

O Governo Federal aumentou os repasses para a construção do Hospital Materno Infantil de Colina de Laranjeiras, na Serra. A unidade começou a ser construída no ano passado e a previsão é que comece a funcionar no final de 2019.

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, estava no Estado para anunciar os recursos e fez uma visita técnica nas obras do novo hospital. No total, as obras vão custar cerca de R$ 60 milhões. O Governo Federal anunciou que serão R$ 50 milhões pagos pelo Governo Federal. Os equipamentos vão custar mais R$ 25 milhões, com recursos também da União.

“Aqui estamos alocando R$ 9,7 milhões para completar os recursos necessários à conclusão da obra, reduzindo a contrapartida do município que era R$ 15 milhões para R$ 10 milhões, totalizando R$ 60 milhões”, explicou.

Ricardo Barros anunciou também que o Governo Federal vai ajudar no custeio do novo hospital, quando estiver em funcionamento. O valor, de acordo com a prefeitura, será de R$ 1,5 milhão e a previsão é de que R$ 1 milhão sejam pagos com recursos do Governo do Estado também. A Secretaria Estadual de Saúde não respondeu sobre o assunto.

O novo hospital vai contar com 120 leitos maternos e pediátricos. Serão 8,7 mil gestantes atendidas por ano na unidade. Segundo o prefeito da Serra, Audifax Barcelos, o atendimento não será voltado apenas para pacientes da Serra e que será melhor que o atendimento que acontece na Maternidade de Carapina atualmente. “Vamos fechar a maternidade de Carapina que tem cerca de 30 leitos para uma obra deste tamanho. Vai atender a população de forma geral, mas não só da Serra e sim do Estado, pela importância da obra”, explicou.

O ministro da saúde também esteve em outras agendas pela parte da manhã no Espírito Santo. Foram anunciados investimentos de mais de R$ 2 milhões para a construção da Policlínica de Viana. A ordem de serviço também foi assinada na manhã desta segunda-feira. O ministro citou que o Governo já economizou mais de R$ 4 milhões na gestão de Michel Temer, com medicamentos mais baratos e o enxugamento de estruturas.

O ministro prometeu que vai avançar com a informatização de todas as unidades de saúde, com a biometria para usuário e funcionário e qualificação de servidores.