Obra do Hospital da Retaguarda, novo empreendimento da Unimed Campinas, contempla restauração de hospital desativado desde 2009

0
41

Projeto do Hospital visa adequação de estrutura já existente aos padrões normativos para estabelecimentos de saúde

Segunda singular do Sistema Unimed a ser fundada no país, a Unimed Campinas está no mercado há quase 47 anos. Atualmente, a sua estrutura de atendimento reúne cerca de 3.284 médicos cooperados, 22 hospitais e 205 serviços credenciados, como clínicas e laboratórios, 11 hospitais-dia, uma Unidade de Pronto Atendimento e um Centro de Quimioterapia Ambulatorial. Além de estar presente em Campinas (SP), a unidade atua também em outras 13 cidades do interior paulista, como Sumaré, Paulínia, Holambra e Indaiatuba.

Entre as recentes conquistas da Instituição, destaca-se o lançamento do Hospital de Retaguarda, previsto para entrar em funcionamento em janeiro de 2018. Trata-se do primeiro hospital próprio da Unimed Campinas, que representa um passo importante para a verticalização da cooperativa.

De acordo com José Windsor Ângelo Rosa, presidente da Unimed Campinas, a unidade está sendo instalada em um prédio que abrigou um hospital desativado em 2009, o antigo Hospital Álvaro Ribeiro.

O novo prédio será uma unidade hospitalar de médio porte, dispondo de 88 leitos, sendo 20 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O espaço irá contemplar também a unidade de internação cirúrgica, central de esterilização de materiais, serviço de radiologia, laboratório de análises clínicas, endoscopia digestiva e ambulatório da ADUC para curativos e infusões.

Por se tratar de uma obra de reforma, o gestor explica que o projeto visou, primordialmente, a adequação de uma estrutura já existente aos atuais padrões normativos para estabelecimentos de saúde. “Isso implicou na adaptação de fluxos, estruturas e acabamentos”, comenta.

Outro aspecto importante ressaltado por Rosa foi o desenvolvimento de atividades necessárias para a implantação do Hospital da Retaguarda – paralelamente à realização da obra –, como seleção e implantação de sistemas informatizados, seleção e treinamento de profissionais qualificados, elaboração de processos e contingências de trabalho.

“Empenhamos em realizar a obra em prazo pré-determinado através de gerenciamento efetivo das atividades necessárias para a entrega do Hospital”, comenta o presidente da Unimed sobre o andamento da obra, revelando que já foram finalizadas as instalações elétricas e hidráulicas na maioria dos ambientes.

Paralelamente ao andamento das obras, a cooperativa começou o processo de aquisição de equipamentos médicos e de apoio administrativo. Também já estão em andamento a implantação dos sistemas informatizados, definição dos processos de trabalho e a cotação e seleção dos fornecedores de serviço. “Após a entrega do espaço físico, prevista para setembro deste ano, começa a fase de instalação de equipamentos, montagem de cozinha e lavanderia e conclusão do quadro de funcionários”, acrescenta.

 

Upgrade

Modernização, facilidade funcional e tecnologia de ponta. “Esses foram os pilares que embasaram as obras do Hospital da Retaguarda da Unimed Campinas”, comenta Fernanda Defendi, diretora de Incorporação e Urbanização da Pafil Empreendimentos, construtora responsável por este projeto.

A executiva explica que a obra, iniciada em dezembro de 2016, foi dividida em uma única etapa e projetada para que atendesse o prazo estabelecido no planejamento de execução.

Segundo Fernanda, a empresa foi responsável pela realização de toda a reengenharia do projeto – que foi projetada englobando todas necessidades do atendimento à saúde. “A Unimed Campinas desenvolveu um projeto de reforma do antigo hospital, mantendo a casca estrutural. Para isso, atendemos todas as questões essenciais, desde sistema de hidráulica, elétrica e até o foco ao atendimento dos pacientes.”

Além de tecnologia e inovação, a diretora conta que nesta construção foram levados em conta aspectos de estética e qualidade. Fernanda destaca também que a execução desse empreendimento teve princípios baseados na sustentabilidade, como a ausência de resíduos na obra.

 

Particularidades

Segundo José Windsor Ângelo Rosa, presidente da Unimed Campinas, a obra do Hospital da Retaguarda foi fundamentada nos princípios de sustentabilidade. “Foram previstas torneiras com controle de vazão e bacias com caixa acoplada e sistema dual-flux, visando a diminuição do consumo de água potável”. Outra medida destacada por Rosa será a implementação, após a instauração do Comitê de Sustentabilidade do Hospital, de um plano de gerenciamento de resíduos.

O projeto de reforma do edifício também buscou atender a adequação da luminosidade dos ambientes, visando o bem-estar dos pacientes e, ainda, aproveitando ao máximo a incidência solar. “Também foram realizadas medições nas iluminações artificiais para certificação do cumprimento das medidas normativas.”

*Esta matéria foi publicada na 24ª edição da revista HealthARQ.