Hospital Santa Paula investe R$ 11 milhões em Oncologia

0
38

O Hospital Santa Paula, referência em alta complexidade na zona sul de São Paulo, está investindo na expansão do Instituto de Oncologia Santa Paula (IOSP).

A ala destinada a quimioterapia aumentou. “Nossa capacidade de atendimento praticamente dobrou, passando de 400 para 750 sessões/mês”, afirma George Schahin, presidente do Hospital Santa Paula. Para isso, o hospital investiu cerca de R$ 4 milhões em obras de infraestrutura para a abertura de um novo andar, inaugurado em janeiro, com mais pontos de atendimento, além da contratação de cinco profissionais. “O novo andar está equipado com mais 10 boxes, aumentando de 14 para 24 no total”, explica Schahin.

A radioterapia receberá um upgrade com um novo software, que vai reduzir o tempo de cada sessão em 20%, proporcionando ganho em produtividade, redução no tempo de espera para agendamentos e comodidade aos pacientes.

As novidades não param por aí. Para o segundo semestre, o Instituto investiu R$ 7 milhões em um novo acelerador, o Elekta VMAT, para radiocirurgia – radioterapia de alta precisão destinada ao tratamento de tumores e metástase cerebrais –, que completa 100% o tratamento integrado.

Os novos serviços têm cobertura dos planos de saúde.

Instituto de Oncologia Santa Paula (IOSP)

Em parceria com o Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês, o Hospital Santa Paula (HSP) inaugurou em 2013 o Instituto de Oncologia Santa Paula (IOSP), espaço dedicado ao tratamento de pacientes oncológicos. A parceria já realizou aproximadamente 20 mil tratamentos de quimioterapia e 75 mil consultas.

O objetivo do Instituto, que faz parte do complexo hospitalar Santa Paula, é oferecer atendimento multidisciplinar por meio de tratamentos modernos aos pacientes acometidos pela doença.

O HSP atua na área da oncologia desde 2000 e passou a contar em 2013 com um edifício exclusivo para esta especialidade. O IOSP está alinhado com o conceito de humanização hospitalar, oferecendo atendimento multidisciplinar em ambientes inspirados no modelo de instituições de saúde internacionais dedicadas ao tratamento integrado do câncer. O instituto também recebeu a Certificação AQUA-HQE de operação sustentável.

Além disso, o IOSP foi um dos hospitais selecionados pela OncoRede em 2017 para propor iniciativas viáveis de cuidado aos pacientes com câncer. O projeto é uma iniciativa da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) que tem como objetivo reunir as melhores práticas do setor e replicar no mercado. O corpo clínico do IOSP é formado por oncologistas clínicos, onco-hematologistas, radioterapeutas, especialistas em saúde bucal e cirurgiões oncológicos – todos dedicados ao planejamento do tratamento aos diversos tipos de câncer. Os pacientes contam ainda com enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas e esteticistas durante todo o período de tratamento.