Hospital e Maternidade São Luiz – Unidade São Caetano, o primeiro a levar a marca São Luiz para fora da capital paulista, apresenta projeto flexível e tecnologia

0
134

Depois de quase cinco anos de trabalho, a Rede D’Or São Luiz inaugurou, no dia 14 de junho deste ano, uma unidade no município de São Caetano – primeira a levar a marca São Luiz para fora da capital paulista. Com um investimento de R$ 250 milhões, o Hospital e Maternidade São Luiz – Unidade São Caetano conta com uma estrutura de 37 mil m² construídos em 15 andares e 294 leitos, que atende como hospital geral, maternidade, pronto atendimento adulto, pediátrico e obstétrico, UTI geral e neonatal.

Mauricio Uhle, diretor-executivo da Rede D’Or São Luiz, explica que o Hospital foi projetado para realizar, aproximadamente, 20 mil atendimentos em pronto-socorro e mil cirurgias por mês. Para atender esses números, a Unidade dispõe de 12 modernas salas de cirurgia geral e de obstetrícia com equipamentos de ponta, centro cardiológico com hemodinâmica completa para realização de intervenções cirúrgicas e moderno centro de diagnósticos.

“A unidade nasceu com completa estrutura e tecnologia para atender todos os públicos, de gestantes a idosos. A começar pela maternidade, com um andar exclusivo para cuidar da saúde da mãe e do bebê, com decoração, hotelaria e serviços essenciais”, comenta Uhle, que faz questão de pontuar o setor de neonatologia e o atendimento especializado em gestação de alto risco.

Todos os espaços da nova unidade foram arquitetados seguindo o padrão São Luiz. A ala pediátrica, por exemplo, está localizada em um pavimento inteiramente dedicado ao cuidado das crianças. “O andar possui decoração especial, brinquedoteca e infraestrutura para que os pequenos e sua família sintam-se mais à vontade durante o atendimento ou internação”, acrescenta.

 

Climatização

Um projeto de climatização hospitalar deve ser capaz de garantir a melhora na qualidade do ar, além de combater doenças de transmissão aérea, evitando o risco de infecções no local. Em função dessas exigências, foi utilizado no Hospital e Maternidade São Luiz – Unidade São Caetano equipamentos de primeira linha em soluções de ventilação, exaustão e climatização.

Edson Alves, diretor-presidente da Star Center, empresa responsável pelas instalações de climatização do Hospital, conta que “por se tratar de uma implantação nova, foi utilizado o que há de mais moderno no segmento para beneficiar as diversas áreas e atender a complexidade de uma obra”.

O diretor-presidente explica que para a aplicação dos sistemas de climatização nas áreas críticas da unidade foi elaborado um cronograma específico. “Foram empregados materiais e equipamentos característicos para atender as necessidades dos ambientes. Isso demandou um planejamento adequado para a instalação da infraestrutura e das unidades terminais, que necessitam do ambiente pronto e limpo para a aplicação.”

Por se tratar de uma instituição de saúde, todos as etapas de aplicação foram acompanhadas e investigadas minunciosamente, evitando qualquer erro. Nesse sentido, Alves conta que o procedimento adotado na instalação da rede de dutos contemplou uma metodologia de higienização pré e pós execução. “Tomamos todo o cuidado com o fechamento dos terminais de insuflamento e no retorno com o material plástico. Já na fase de teste e balanceamento, nos preocupamos em instalar os filtros provisórios de maneira a evitar contaminação nos dutos e equipamentos”, lembra.

 

Flexível para expansão e mudanças

Visando possíveis expansões e transformações, o projeto da Unidade São Caetano foi planejado para ser flexível e de fácil mudança. A distribuição de energia elétrica, água potável e gases medicinais, por exemplo, foi elaborada de forma circular em torno das prumadas de circulação vertical, atendendo com agilidade todos os pontos de cada pavimento do Hospital.

A arquitetura das áreas de pronto atendimento pode ser convertida facilmente em espaços para instalações de novos equipamentos de diagnóstico ou área de medicação. “Foi utilizado gesso nas paredes, pois o material ajuda no reposicionamento ou mudanças no futuro”, revela o diretor-executivo da Rede D’Or São Luiz.

De acordo com Uhle, os andares de internação e consultórios foram projetados para serem alternados e convertidos em Unidades de Terapia Intensiva, e vice-versa. “Já as fundações e estruturas de concreto foram planejadas para suportar mais dois pavimentos completos, permitindo a instalação de novos equipamentos pesados – como Ressonância Magnética – ou outras ampliações”, complementa.

 

Energia de sobra

Em caso de falta de energia da concessionária, toda a carga elétrica do Hospital será suportada por quatro geradores de 750 KVAs. Se um dos geradores falhar, os três restantes irão segurar a carga de toda a unidade. Se dois falharem, os outros dois irão atender aos circuitos essenciais e vitais, evitando transtorno no atendimento aos pacientes. Caso o fornecimento de energia da concessionária e toda a central de geração falhe, um quinto gerador, instalado no térreo do prédio, manterá funcionando os circuitos críticos, como elevadores de emergência e iluminação das rotas de fuga.

 

Sustentabilidade

O diretor-executivo da Rede D’Or São Luiz explica que o projeto do Hospital e Maternidade São Luiz – Unidade São Caetano compreende algumas medidas sustentáveis, como:

– Utilização de equipamentos do tipo heat-recovery estão acoplados nas centrais de água gelada do sistema de condicionamento de ar para pré-aquecimento de água potável, gerando economia no consumo de gás;

– Vidros reflexivos na fachada reduzem a incidência de raios solares nos ambientes, o que melhora o desempenho do ar-condicionado, diminuindo, assim, o consumo de energia elétrica;

– Utilização de lâmpadas tipo LED que consomem menos energia elétrica;

– Reservatório de 800 mil litros para captação de água de chuva, que visa minimizar a sobrecarga nos coletores públicos durante os temporais, evitando também alagamentos no entorno do Hospital.

 

Tecnologia de ponta 

No Hospital e Maternidade São Luiz, em São Caetano do Sul, coube à Temon o desenvolvimento dos sistemas hidráulicos, elétricos e de proteção e combate a incêndio. A empresa atua na obra desde 2015 e, neste momento, trabalha nas adequações necessárias para o pleno funcionamento da unidade de saúde.

Para Álvaro Assumpção, presidente da Temon, a primeira parceria entre a empresa e a operadora de hospitais Rede D’Or ratifica a excelência da companhia em aplicar, de forma customizada, os sistemas adequados a cada nicho de mercado atendido. “Nesses 40 anos de atuação, o foco da Temon sempre foi fornecer tecnologia de ponta e empenhar nossas equipes para atender e superar as expectativas de nossos clientes. A constante capacitação dos colaboradores – desde o escritório ao canteiro de obras – nos permite oferecer ao mercado projetos diferenciados e funcionais”, destaca.

Para as instalações do Hospital e Maternidade São Luiz, a Temon lançou mão de um dos seus diferenciais: o sistema em Revit (3D) para o dispositivo de sprinklers (todo o sistema, inclusive os hidrantes, tiveram desenvolvimento em Revit, utilizado no combate a incêndios). Como se trata de uma unidade de saúde, todos os projetos executados pela empresa precisaram acompanhar as inovações da chamada tecnologia hospitalar, o que exigiu do corpo técnico da companhia empenho e preparo alinhados às exigências que o segmento estabelece.

 

O projeto

O projeto da unidade de saúde apresentou características bastante distintas. A arquitetura, por exemplo, não apresentava espaço físico apropriado para toda a gama de instalações e foi necessário compatibilizá-las com outras empresas envolvidas na obra. Por se tratar de um mercado com inovações constantes de equipamentos, alguns ajustes acontecerem quase que semanalmente. Durante todo o processo, a equipe da Temon precisou acrescentar novos sistemas ao escopo original, além de agregar dispositivos específicos para garantir o perfeito funcionamento da implantação. Exemplos são as instalações desenvolvidas para ambientes como as salas cirúrgicas, de ressonância e hemodinâmica.

No auge dos trabalhos a obra contou com mais de 120 colaboradores, grande parte, mão de obra local. O projeto teve também a participação da equipe de produção que atuou com o time de planejamento. O trabalho conjunto visou a otimização dos procedimentos aplicados às instalações. Como em todos os projetos executados pela Temon, a construção do Hospital e Maternidade São Luiz envolveu ainda as áreas de gestão da qualidade, segurança do trabalho e da equipe de comissionamento, responsável por aferir durante todo o projeto a funcionalidade dos sistemas e o cumprimento das normas.

*Esta matéria foi publicada na 24ª edição da revista HealthARQ.