Feira de Santana inaugura hospital com investimento de R$ 5 milhões

0
13

Para 49% da população de Feira de Santana a saúde é o principal problema do município, de acordo com a última pesquisa Ibope, divulgada no mês de agosto. Este foi um dos motivos que levou o Sistema Hapvida a investir mais de R$ 5 milhões na construção do Hospital Francisca de Sande, que será inaugurado hoje, às 9h. De acordo com Cláudio de Simone, superintendente de Integração e Novos Projetos do Hapvida, o hospital chega para atender as principais necessidades da região nas instalações do antigo Instituto de Oncologia da Bahia (ION). “Contamos com uma estrutura moderna, de qualidade, que foi desenhada para ser um hospital moderno e acolhedor”, afirma sobre a unidade que emprega mais de 100 colaboradores diretos.

Com atendimento de urgência e emergência 24 horas, clínica médica e pediatria, e leitos de internação e cirúrgicos, a unidade hospitalar é a primeira da operadora no município e a segunda do sistema no estado. De acordo com uma análise feita pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), utilizando dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), do Ministério da Saúde, em maio deste ano, a Bahia era o quarto estado do país e o primeiro do Nordeste com maior perda de leitos de internação, entre os anos de 2010 e 2015. Os leitos cirúrgicos, especificamente, passaram de 6.064 unidades, em 2010, para 5.382, em 2015.

Como explica o superintendente, Feira de Santana foi escolhida pois converge com a filosofia do Sistema Hapvida de descentralizar o acesso à saúde de qualidade, mesmo que o cliente não more nos grandes centros urbanos. “Feira de Santana é uma cidade importante dentro do estado da Bahia, sendo um polo agregador de várias outras cidades. É um município com grande potencial de crescimento e o Hapvida acredita na região”, reforça.

O nome do hospital é uma homenagem à enfermeira baiana Francisca de Sande que foi pioneira na profissão no Brasil e ajudou a cuidar das pessoas acometidas pela epidemia de febre amarela que, entre 1680 e 1694, matou milhares de pessoas no Nordeste. Instalado na Rua Professora Edelvira de Oliveira, número 140, no Centro, o Hospital Francisca de Sande inicia as atividades também com consultas com hora marcada em Ortopedia, além de centro cirúrgico, exames laboratoriais, de diagnóstico por imagem, como raio-X e ultrassom, e eletrocardiograma.