Após amplo processo de reforma, Hospital Regional de Penedo ganha novos apartamentos

0
38

A Santa Casa de Misericórdia de Penedo realizou na manhã desta quarta-feira, 17 de janeiro, a entrega de novos apartamentos do Hospital Regional. Os quartos foram recuperados, estruturados e modernizados para servir cada vez melhor o povo de Penedo e região circunvizinha.

Logo após a solenidade, que contou também com a participação de médicos, do diretor-geral, Jean Cleber Spricigo, e do provedor e bispo diocesano, Dom Valério Breda, entre outras autoridades, o vice-provedor da Santa Casa de Misericórdia de Penedo, Eduardo Regueira, conversou com a nossa redação.

De acordo com Regueira, o Hospital Regional é dotado de 10 apartamentos para a rede privada, sendo que destes, cinco já foram recuperados anteriormente, mais dois foram entregues nesta quarta, 17, e as obras nos outros três devem começar em breve, uma vez que o hospital não dispõe de recursos suficientes para reformar tudo de uma vez.

“Quando nós assumimos a Santa Casa em 2012 fizemos um diagnóstico do hospital e chegamos à conclusão que estávamos atrasados 30 anos. Por conta disso fizemos um projeto de fazer 30 anos em 5, e estamos cumprindo, pois já executamos mais de 80%”, explicou.

Ainda de acordo com Regueira, os avanços no Hospital Regional, bem como no complexo Santa Casa de Penedo, como um todo, são perceptíveis e vão desde a recuperação da parte física à recuperação de equipamentos importantes para o bom atendimento ao público.

“Esse projeto de fazer 30 anos em 5 vem sendo executado de forma bastante satisfatória. Nós já profissionalizamos e informatizamos o hospital e através de emendas parlamentares conseguimos recuperar todos os equipamentos que estavam sucateados, como as camas, por exemplo. Reestruturamos também todas as enfermarias do Sistema Único de Saúde, que agora são climatizadas, dando uma humanização e decência aos menos favorecidos. Depois disso partimos para a ala particular”, enfatizou Regueira.

O vice-provedor fez questão de frisar que apesar de ficarem na ala privada do hospital, esses apartamentos que foram e estão sendo recuperados, comumente são usados por usuários do sistema público quando faltam leitos nas enfermarias. “Quando o hospital está cheio, nós não deixamos o paciente do SUS desamparado e colocamos ele lá também, quando há vagas. Essa é a missão da Santa Casa”, salientou.

Para 2018, o vice-provedor salientou que a Santa Casa tem projetos importantes e que, em breve, devem tornar realidade, citando a implantação da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e instalação do centro de Tratamento de Hemodiálise.

Além disso, Regueira destacou ainda que a Maternidade e a Pediatria, que atualmente funcionam na Avenida Getúlio Vargas, em um prédio tombado pelo Iphan, devem funcionar também no Hospital Regional, que se tornará um complexo médico único, enxugando as despesas da Santa Casa em mais de 30%.