Ampliação da fábrica B. Braun, em Guaxindiba, recebe certificado LEED Gold

0
63

O projeto de expansão da fábrica da B. Braun em Guaxindiba, no Rio de Janeiro, aconteceu em 2015 e teve como resultado a ampliação de um pouco mais de 29 mil m² da sua área construída.

Já prevendo as etapas de expansão da planta, o escritório de arquitetura responsável elaborou um masterplan que evitou o retrabalho das fases da obra. O planejamento prévio elaborado pelo profissional já contava com as infraestruturas enterradas, demanda de alimentação elétrica, água, esgoto e sistema de combate a incêndio.

De acordo com Cezário Marques Ribeiro Caram, Diretor Comercial da Ribeiro Caram, construtora responsável pelo levantamento da obra, a estrutura principal das edificações foi feita com pilares e vigas metálicas, painéis isolantes térmicos, lajes steel deck com capeamento em concreto e fechamentos em alvenaria.

O projeto implementado na B. Braun apresentou características atípicas em relação ao que usualmente se encontra no mercado, que são os galpões limitados a 14 m de altura e fechamento em telha de aço simples. Neste projeto foi utilizado, no setor de armazenamento, um pé direito de 24 m. Para atender as normas da Anvisa, foi necessário a instalação de forro modulado acima dos racks de armazenamento para evitar  a entrada de sujeira, utilização de painéis isolantes térmicos e autoportantes na fachada, sistema de climatização e de combate a incêndio por splinkers no junto à cobertura e ao longo dos racks a meia altura.

O piso industrial também foi um caso a parte. O pavimento exigiu uma capacidade de carga maior que a usual e grande planicidade, uma vez que as empilhadeiras tiveram que operar com racks de 24m de altura onde pequenos desnivelamentos dificultaram o trabalho dos operadores de empilhadeira.

“A portaria também foi um destaque da obra, pois o prédio possui uma cobertura com grande vão livre, sendo uma estrutura importante logo na entrada da B. Braun”, ressalta o Diretor Comercial.

Elaboração

Segundo Cezário Caram, a planta foi elaborada dentro dos padrões para acessibilidade e execução. Pátios, ruas, calçadas e áreas de estacionamento foram bem projetados permitindo fácil visualização e trânsito para pedestres e motoristas.

O projeto exigiu a interface e compatibilização de diversos projetistas e fornecedores diferentes para que se executassem a obra civil e a mesma atendesse os critérios considerados nos projetos hidráulicos/elétricos e mecânicos.

“O prazo foi um dos desafios da obra, uma vez que os projetos correram em paralelo com a execução da obra, exigindo atenção redobrada de todos os envolvidos a fim de evitar retrabalhos ou atraso por falta de liberação de frentes.”

Sustentabilidade

A obra foi certificada LEED Gold. Para alcançar esse mérito, de acordo com Caram, foi necessário iniciar o processo desde a escolha da área ate o desenvolvimento do projeto, etapa na qual se define o planejamento de pontuação LEED.

Para chegar aos pontos necessários para este grau de certificação, foram empregados materiais e equipamentos de sistema mediante as especificações do sistema construtivo.

“Partindo-se deste planejamento procuramos atingir as metas definidas pelo cliente, contribuindo para a obtenção do certificado ao final da obra. Cada vez mais temos clientes com a preocupação em desenvolver projetos sustentáveis e ecologicamente corretos. Isto é uma tendência que está se ampliando no Brasil”, comenta.

Diferenciais Da Obra

Elétrica

  • Filosofia de projeto, visando melhor operacionalidade do sistema; garantia de energia em função das redundâncias, facilitando manobras de transferências sem interrupção de produção;
  • Baixo custo de energia em função do estudo de balanceamento de cargas;
  • Aplicação de materiais e equipamentos avançados em tecnologia;
  • Disponibilidade de expansão futura sem grandes intervenções futuras.

Hidráulica

  • Baixo impacto ambiental quanto às instalações hidro sanitárias, proporcionado por um sistema correto de instalação de água de reuso (aproveitamento de águas pluviais);
  • Sistema de aquecimento de água por energia solar;
  • Sistema de captação e tratamento de efluentes sanitários;
  • Equipamentos e dispositivos de alto rendimento e baixo consumo;
  • Flexibilidade de expansão sem grandes intervenções futuras.