Teles Pires está apta a operar

26
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Sob a supervisão do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), foi concluído  na madrugada desta sexta-feira (06/11) o teste de 96 horas contínuas com a primeira máquina geradora (UG1) da Usina Hidrelétrica Teles Pires, na divisa do Mato Grosso com o Pará. Com isso, a usina está pronta para entrar em operação comercial, assim que receber, nos próximos dias, a autorização formal da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), aumentando em mais 364 MW a oferta de energia elétrica para o Brasil. Ao todo, a usina possui cinco turbinas, do tipo Francis, com capacidade instalada total de 1.820 MW, que deverão operar plenamente a partir de dezembro deste ano.

O escoamento da energia se dará em duas etapas. A geração dessa primeira turbina está conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN) por meio de uma linha de transmissão de circuito duplo, de aproximadamente 300 quilômetros, que vai de Paranaíta (MT), município onde está localizada a Hidrelétrica, até Cláudia (MT). De Cláudia, a ligação é completada com outra linha de 107 km, até a subestação de Sinop (MT).

O escoamento completo da usina se dará com linha de transmissão definitiva, que deverá ser concluída até dezembro, com 1000 km, que interligará a subestação Paranaíta à subestação Ribeirãozinho (MT), na divisa de Mato Grosso com o estado de Goiás.

De janeiro até o dia 4 de novembro de 2015, o sistema elétrico brasileiro ganhou mais 4.436 MW em capacidade instalada. Com a chegada dessa primeira máquina de Teles Pires, serão atingidos 4.800 MW, equivalente a 75% dos 6.410 MW de energia nova programados para este ano.

A área do reservatório de Teles Pires tem 160 km² e o projeto básico ambiental conta com 44 programas ambientais e 19 programas indígenas. Os municípios de abrangência são Paranaíta (MT) e Jacareacanga (PA). A hidrelétrica  tem como acionistas a Neoenergia (50,1%), Eletrobras Eletrosul (24,5%), Eletrobras Furnas (24,5%) e Odebrecht Energia (0,9%).