Gaúchos criam grupo de trabalho para energia eólica

11
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Na semana passada, o Rio Grande do Sul deu mais um passo para alavancar o desenvolvimento de energias sustentáveis no estado: a criação de um Grupo de Trabalho de Energia Eólica (GT Eólica), que tem o apoio da associação do setor, a ABEEólica. A primeira reunião do GT foi realizada na quinta-feira, dia 10, com a presença da presidente executiva da entidade, Élbia Gannoum. Segundo ela, o Grupo foi criado pela Secretaria de Minas e Energia do Rio Grande do Sul e tem como objetivo promover o desenvolvimento energético do estado.Um dos destaques do encontro foi o anúncio do Plano Energético para o período 2016-2025. O estudo deve envolver um conjunto de diretrizes e propostas de políticas públicas na área da energia.

Na avaliação da ABEEólica, o plano possibilitará melhor entendimento no que se refere aos insumos renováveis e não renováveis, a conservação de energia, a eficiência energética e a incorporação de novas tecnologias.“O Rio Grande do Sul apresenta um grande potencial eólico e, portanto, um grande potencial de investimentos para a indústria eólica nacional, sendo essenciais as ações por parte do Governo Estadual para alavancar os investimentos”, avalia Élbia. De acordo com ela, o estado tem atualmente 52 parques eólicos instalados, com capacidade de geração de 1.342,9 MW.
“O crescimento mundial de energia eólica e o potencial brasileiro têm mostrado um cenário de grandes perspectivas para a indústria. A indústria eólica tem se desenvolvido de maneira virtuosa em termos de geração efetiva e a justificativa para isso se dá pelo desempenho dos parques eólicos”, avalia a presidente da ABEEólica. “O Brasil ocupa o primeiro lugar desse ranking, apresentado fatores médios de capacidade superiores a 50% em alguns meses do ano”, destaca Elbia.