Relatório indica melhoria nos serviços dos hospitais da UFRN


 

Os serviços das unidades hospitalares da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) prestados à população e a formação acadêmica dos estudantes da saúde em 2015 são “satisfatórios”. Os pontos frágeis são a escassez de vagas para estágios e de carga horária para professores e preceptores acompanharem o aluno estagiário. Atualmente, 1 mil 330 estudantes fazem estágio obrigatório no HUOL e 83% consideram que essa atividade contribui para elevar o nível da formação acadêmica.

Essa é a síntese do relatório enviado pela universidade ao Ministério Público, sobre os resultados alcançados pelo Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC), ambos no campus central, em Natal, e o Hospital Universitário Ana Bezerra (HUAB), no Campus Santa Cruz. Os três têm a assistência social ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) e o ensino para a formação na área médica como atividades diárias e há um ano e meio são administrados pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH).

Exposto em reunião com cerca de 40 participantes na manhã desta quinta-feira, 3, presidida pela reitora Ângela Maria Paiva Cruz na Sala dos Colegiados da UFRN, o documento foi analisado por gestores, pró-reitores, técnicos, docentes e assessores das administrações das duas partes.

Enquanto a relação dos hospitais da UFRN com a gestora Ebserh é considerada “positiva”, as partes reconhecem ser necessário mais capacitação técnica e avançar na formação acadêmica, na oferta da quantidade de estágios e no atendimento assistencial aos usuários dos hospitais universitários.

Para melhorias dessas unidades o relatório sinaliza ajustar as relações entre gerências de ensinos dos Hospitais Universitários, criar uma Central de Estágios no SIGAA e ampliar a oferta de residências médicas.

Avaliação

A MEJC “deu um salto de qualidade em oferta de serviço e formação profissional, modernizando-se em tecnologia da informação e implantou novas ferramentas de gestão”, segundo Sônia Maria de Medeiros Barreto, substituta do superintendente da Maternidade.

Já o HUOL obteve o melhor desempenho entre os três: ganhou 1 mil e 104 novos servidores  concursados, tornou-se unidade hospitalar de alta complexidade e está implantado duas novas linhas de serviços na Área de Cuidado: uma para atendimento psicossocial, integrando a assistência desde a saúde básica até o atendimento hospitalar, e uma voltada para o atendimento do miocárdio. Pelas declarações dos dirigentes, a prevenção também está nas metas da MEJC e do Hospital Ana Bezerra.

Os dados constantes do relatório foram colhidos durante a avaliação institucional deste ano, realizada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) da UFRN junto aos docentes, técnicos e discentes da área da saúde em nível de graduação e pós (residências). Há um ano e meio, a EBSERH é a responsável pela gestão das três unidades hospitalares da UFRN, por meio da contratualização entre as partes.

Artigo Anterior Cingapura consegue erradicar o mosquito Aedes aegypti
Próximo Artigo Cerimônia marca inauguração do Centro de Especialidades do Hospital Restinga e Extremo-Sul