Obras de expansão do hospital Sírio-Libanês apresentam processos de adequações baseados em princípios de compatibilidade


O complexo hospitalar Sírio-Libanês, em São Paulo, é referência em especialidades e procedimentos médicos de alta complexidade. Em abril de 2015, o hospital passou por um programa de expansão e modernização a fim de melhorar a sua capacidade de atendimento, ampliando de 352 para 650 leitos, todos de alto padrão. Sem interromper os atendimentos, as obras aumentaram mais de 70 mil m² da área construída do hospital.

Com o empreendimento, o hospital passou por transformações que atendem as demandas por serviços de alta qualidade, como ambientes mais amplos, hotelaria com infraestrutura sofisticada e quartos confortáveis e humanizados.

A ampliação contemplou a inauguração de três novas torres, os blocos E, F e G. São duas torres, uma com 20 pavimentos e outra com 14 pavimentos. Já a terceira torre, com 16 pavimentos, foi instaurada em terreno ao lado do prédio. Além disso, as obras possibilitaram diversas interligações, que unificam e consolidam todo o complexo.

Segundo Emilio Medauar, sócio da Certek Construtora, empresa responsável pelas atividades civis na obra de interligação do bloco C com a nova torre do bloco G, o processo de adequação foi baseado no princípio de compatibilidade, adequando os dois setores simultaneamente.

Para que o hospital continuasse funcionando normalmente, o processo de interligação dos blocos contou com equipe especializada, equipamentos de ponta e isolamentos específicos, a fim de produzir o menor nível de ruído possível. “O nosso objetivo foi nos tornarmos ‘invisíveis’ durante todo o procedimento”, acrescenta.

A ampliação do complexo contou com a participação de parceiros que prestavam serviços simultâneos, focados em apresentar ótimos resultados dentro do prazo. De acordo com Medauar, o maior desafio dessa obra foi trabalhar em sincronia com todas as empresas, principalmente nos quesitos logística e relações interpessoais.

“A nossa estratégia foi trabalhar sempre em conjunto com a engenharia do hospital e suas equipes operacionais, adotando uma logística customizada, adequando e aplicando os isolamentos necessários, mantendo sempre a limpeza das áreas de trabalho impecável, possibilitando que o fluxo operacional do hospital continuasse funcionando com o mínimo de obstruções e intervenções”, comenta.

Com a intenção de garantir o nível máximo de proteção para os colaboradores e pacientes, a Certek disponibilizou, durante a obra, uma equipe completa de engenheiros e técnicos de segurança. Para manter-se atualizado, o grupo realizava treinamentos e reuniões diárias.

A construtora vem atuando no mercado da saúde tanto em hospitais como em centros de diagnóstico, laboratórios, indústrias farmacêuticas e de produtos de higiene. Além do Sírio-Libanês, a empresa também atuou no A.C Camargo, CDB (Centro Diagnósticos Brasil), Laboratórios DASA, Delboni, SalomãoZoppi Diagnósticos, Eurofarma e SCA Hygiene Products.

Sustentabilidade

Segundo Antônio Carlos Cascão, diretor de infraestrutura do Sírio-Libanês, o projeto de expansão do hospital contou com a realização de uma pesquisa de mercado sobre como as tecnológicas estão avançando, quais produtos são mais eficientes e mais adequados para a aplicação em um hospital.

Além disso, foi trabalhado um plano de sustentabilidade focado no uso racional de recursos naturais. “Qualquer projeto que venha a ocorrer aqui dentro deve ter a premissa extremamente clara e parametrizada de consumo de energia com iluminação ou com ar condicionado, por exemplo, ou de água nas torneiras e chuveiros. Tudo isso é parametrizado e é parte do plano que nos leva a estar em um estágio cada vez melhor”, explica.

Leed Gold

O projeto de expansão dos blocos está em processo de certificação Leed Gold, que inclui uma série de itens de sustentabilidade. Segundo Cascão, as obras atenderam todos os requisitos da certificação. “Temos o tempo necessário de operação do edifício para comprovar que, efetivamente, o que desenhamos e projetamos atendeu os requisitos e estava com a performance esperada. Isto foi feito e, agora, estamos na fase final, aguardando o recebimento da certificação”.

Artigo Anterior Benefícios da Acreditação Nível III da ONA na Biovisão
Próximo Artigo A participação efetiva de todos os colaboradores para a manutenção da Qualidade na Rede Mater Dei de Saúde