Maior centro de manipulação e armazenamento de células da América Latina é inaugurado no Rio


A Cryopraxis, primeiro banco de sangue de cordão umbilical privado do Brasil, inaugurou hoje o maior centro de armazenamento e manipulação de amostras biológicas da América Latina, localizado no Polo de Biotecnologia do Rio de Janeiro (BIO-RIO). O evento contou com a presença do governador Luiz Fernando Pezão e a primeira-dama Maria Lúcia Cautiero Horta Jardim. A empresa investiu cerca de R$ 5 milhões na expansão do laboratório, ampliando em 40% a área instalada e dobrando a capacidade de armazenamento para 80 mil amostras.

Com o investimento na ampliação, além de duplicar a capacidade de processamento e armazenamento de unidades de sangue de cordão coletadas em todo o país, a Cryopraxis planeja armazenar amostras de sêmen, óvulos, embriões, tecido adiposo e célula mesenquimal de cordão. A empresa aguarda a autorização da Vigilância Sanitária-RJ para iniciar os novos serviços. A estimativa é que as novas atividades aumentem o faturamento em 20%.

Para o governador Luiz Fernando Pezão esse é o setor do futuro do Estado do Rio. “Apesar de termos uma economia dependente fortemente do petróleo, temos que investir em outras oportunidades, pois o petróleo é finito.”

De acordo com o índice Dow Jones, a área de Saúde cresceu 19% em 2012, enquanto Petróleo e Gás, 6%. Em 2013, o crescimento foi de 35% e 17%, respectivamente. Em 2014, Saúde avançou 34% e Petróleo e Gás caiu 9%.  “Vamos transformar o Rio de Janeiro no maior centro de empresas e negócios de Saúde. Se fizermos uma Saúde primária e uma terciária de qualidade, iremos atrair mais empresas”, complementa o presidente da Cryopraxis, Eduardo Cruz. O empresário disse também que cerca de 9% do que a empresa fatura é reinvestido.  “Nossa taxa de pesquisa e desenvolvimento é bastante elevada.”

Armazenamento social

Com o novo ciclo de crescimento, e por acreditar no potencial das células-tronco, a ampliação abriu espaço para o “armazenamento social”. A partir de maio de 2015, famílias carentes com histórico de doenças que podem ser beneficiadas com o uso de células-tronco, do Rio de Janeiro e São Paulo terão acesso gratuito ao armazenamento de células-tronco do sangue de cordão umbilical (SCU).

“Vamos receber e analisar as solicitações de gestantes que comprovem o histórico de doença na família. No Rio de Janeiro, o Instituto de Pediatria da UFRJ – uma das instituições mais respeitadas quando se trata da promoção da saúde e o bem-estar da criança e do adolescente – vai contribuir na identificação e encaminhamento de casos com potencial de uso”, explica Eduardo.

A ampliação terá o maior e mais estruturado programa de armazenamento solidário de uma empresa privada do Brasil. Na Cryopraxis que passa ter capacidade para armazenar   80 mil amostras, 10% serão destinadas ao projeto social.

Artigo Anterior Hospital Alemão Oswaldo Cruz quer se firmar como referência em tecnologia
Próximo Artigo Bace traz ao Brasil sistema de Pressão Negativa da HARTMANN para tratamento de feridas