Home / Saúde Online / Joint venture investe na criação do primeiro Hospital do Câncer privado do DF
Finance growth and green line

Joint venture investe na criação do primeiro Hospital do Câncer privado do DF

 

A partir de setembro, o Distrito Federal contará com o primeiro hospital privado dedicado ao paciente oncológico. O empreendimento é resultado de uma joint venture que reúne dois serviços de tradição no setor de saúde suplementar: o Hospital Anchieta e o Centro de Câncer de Brasília – Cettro.

Batizado de Hospital do Câncer Anchieta, o negócio trará à capital federal um modelo inovador para o setor de saúde, inspirado em uma prática de sucesso do varejo: a “shop in shop” ou loja dentro de outra loja. O novo serviço funcionará dentro do complexo hospitalar Anchieta, mantendo, contudo, identidade, unidades e equipes próprias.

A estrutura contará com portal de acesso com serviço de concièrge hospitalar, ambulatório com hospital-dia, 28 flats para internação oncológica, UTI oncológica, Unidade de Transplante de Medula Óssea e Pronto-Atendimento Oncológico 24h. “Concebemos um serviço de alta resolutividade, capaz de atender o paciente de maneira integral”, destaca Naiara Porto, executiva à frente do projeto.

O Hospital do Câncer Anchieta nascerá com outros atributos destacáveis. “Já levamos em consideração os critérios defendidos pela ANS no projeto Oncorede, modelo que deverá definir o funcionamento ideal dos serviços de oncologia voltados à saúde suplementar”, antecipa o Murilo Buso, superintendente do Cettro. Para a qualidade, o novo serviço vai adotar a certificação ONA 3 – selo já obtido tanto pelo Hospital Anchieta quanto pelo Cettro, que possuem expertise nessa acreditação. Há, ainda, projeto de adesão ao Planetree, programa internacional de assistência centrada no paciente.

O negócio prevê injeção de R$ 20 milhões. Vai gerar cerca de  400 empregos, além de reunir em seu corpo clínico mais de 40 profissionais de saúde altamente capacitados. A segunda etapa do projeto prevê ações de pesquisa e ensino.

Até 2030, o câncer gerará mais de 21 milhões de novos casos e 13 milhões de óbitos ao ano. Há perspectivas de que um em cada dois indivíduos enfrentem, em alguma etapa da vida, o diagnóstico da doença. “O desenvolvimento de serviços integrados, como será o Hospital do Câncer Anchieta, é uma das armas preconizadas para enfrentamento eficaz dessa realidade”, conclui Murilo.

Sobre

Veja também

Telemedicina no Sul do país, nova superintendência do HAOC e Santa Joana conquista JCI são os destaques do Direto da Redação

  O Direto da Redação traz os seguintes destaques da semana: Hospital e Maternidade Santa …