FDA aprova primeira terapia que altera genes de paciente


O governo dos Estados Unidos aprovou o primeiro tratamento que reestrutura o sistema imunológico de pacientes como alternativa para tratamento contra o câncer. De acordo com o FDA, agência regulatória de medicamentos do país, afirmou que a decisão marca um momento “histórico” e que a medicina agora “entra em uma nova fronteira”.

A Novartis, responsável pelo desenvolvimento da nova droga, cobra US$ 475 mil, cerca de R$ 1,5 milhão, pela terapia da chamada “droga viva”, que mostrou 83% de eficácia no tratamento contra leucemia linfoblástica aguda.

O Kymriah é produzido de maneira individual, a partir da extração de células sanguíneas do próprio paciente. As células são então geneticamente reprogramadas para serem capazes de buscar e matar o tumor e reinseridas no organismo. Ao encontrar o alvo, essas células se multiplicam e atuam conforme foram programadas.

Scott Gottlieb, do FDA, afirmou: “Estamos entrando numa nova fronteira na inovação médica com a habilidade de reprogramar as células do próprio paciente para atacar um câncer mortal”. Ainda de acordo com Gottieb, novas tecnologias, tais como as terapias genéticas e celulares, têm o potencial de transformar a medicina e criar um ponto de inflexão em na capacidade de tratar, e até curar, muitas doenças intratáveis”.

Fonte: BBC

Artigo Anterior Einstein realiza 3º fórum Latino Americano de Qualidade e Segurança
Próximo Artigo O futuro da saúde mundial está no cuidado com o paciente

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.