Home / Saúde Online / Diagnóstico microbiológico auxilia no controle e eficiência da limpeza hospitalar

Diagnóstico microbiológico auxilia no controle e eficiência da limpeza hospitalar

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano, aproximadamente 14% dos pacientes internados no Brasil contraem algum tipo de infecção hospitalar. Já a Associação Nacional de Biossegurança (Anbio) confirma que cerca de 100 mil pessoas morrem em decorrência das infecções.

Este cenário evidencia a responsabilidade das prestadoras de serviço na área de higienização hospitalar. Para ter maior controle e eficiência da limpeza, a Estar Higienização recorre a um sistema de avaliação e controle através do diagnóstico microbiológico. “Este modelo revela os pontos de contaminação em um mapeamento na planta baixa do hospital, o que possibilita focar os esforços nos locais contaminados despercebidos e verificar os resultados com maior eficácia”, explica Leonardo Fontes Pereira, diretor executivo da empresa.

O certificado ISO 9001 atesta a excelência da empresa em higienização hospitalar. “A certificação aumenta a capacidade de fornecermos serviços consistentes e de qualidade, uma vez que, através de processos de verificação, sempre buscamos melhorar os métodos de limpeza.”

A conquista da certificação se deu após um procedimento minucioso de revisão e criação de processos em diversas áreas da empresa. As etapas envolveram toda a equipe, desde a direção até os agentes de limpeza.

Conforme explica Pereira, entre as iniciativas que a ISO introduziu destaca-se a padronização de uma metodologia de limpeza desenvolvida pela própria equipe da Estar visando a plena satisfação dos clientes.

Sobre as vantagens terceirizar os serviços, como o de limpeza, Pereira pontua a vantagem do contratante focar no negócio principal da instituição. “Quando o serviço é terceirizado, os profissionais já têm o perfil necessário, assim como a orientação e o treinamento adequados, ou seja, com qualidade de serviços já no início das atividades. Há também a redução de custos, pois a empresa terceirizada pode evitar o desperdício de produtos, além do contratante não ter custos com investimentos em máquinas e equipamentos, rescisões, troca de funcionários, substituição nas férias, faltas etc.”

Atualmente, a empresa atua na Unimed no interior de Goiás e com o Hospital da CASSEMS no Mato Grosso do Sul. “Estas unidades funcionaram para a Estar como um laboratório para estudo e implantação de novas técnicas e processos. Hoje, sentimos confiantes para expandir os resultados satisfatórios destas experiências para outros hospitais.”

Matéria publicada na 47ª edição da revista HealthCare Management. Clique e confira a edição completa. 

Sobre

Veja também

Telemedicina no Sul do país, nova superintendência do HAOC e Santa Joana conquista JCI são os destaques do Direto da Redação

  O Direto da Redação traz os seguintes destaques da semana: Hospital e Maternidade Santa …