Avanço na cirurgia a laser para a próstata é apresentado na Jornada Paulista de Urologia


 

Urologistas de todo o país se reuniram em Campos do Jordão – SP, durante os dias 23 e 25 de abril, para a Jornada Paulista de Urologia. Entre as novidades no tratamento da próstata está uma tecnologia mais potente para cirurgia a laser da hiperplasia benigna, a doença mais comum que afeta a glândula, causando seu inchaço.

Conhecido como Green Light® XPS, o laser verde vaporiza a próstata em um procedimento minimamente invasivo e sem cortes. A nova versão do tratamento ganhou potência e permite que o procedimento seja realizado em menos tempo, com mais precisão, e também em próstatas acima de 100g – até então o limite de tamanho para cirurgia a laser.

Durante a Jornada, os médicos tiveram acesso à tecnologia por meio de um simulador interativo. O equipamento permite que os especialistas se familiarizem com as novas funcionalidades do laser.

A HPB, como é a conhecida a hiperplasia benigna de próstata, comprime a bexiga e obstrui parcial ou totalmente a uretra, prejudicando o fluxo normal da urina. A falta de tratamento pode levar a infecções urinárias e até a obstrução total do canal.

De acordo com o urologista do Centro de Referência em Saúde do Homem do Hospital Brigadeiro (SP), Alcides Mosconi Neto, este é o tratamento mais avançado no Brasil. “A cirurgia é rápida, não invasiva, sem risco para o paciente e com menor tempo de internação e recuperação – a alta é em até 24 horas”, afirma. Mosconi explica que o tratamento com laser verde é também um avanço para pacientes com doenças do coração – problema comum na faixa etária da maioria dos pacientes, que antes não tinham alternativas de cirurgia. “Como o sangramento é mínimo, não há necessidade de suspender medicamentos anticoagulantes”.

Artigo Anterior Envolvimento do Paciente: Um Novo Desafio para o Cuidado
Próximo Artigo Complexo hospitalar do interior paulista é o primeiro do Brasil a disponibilizar, de forma completa e em todas as suas unidades, exames de imagens em smartphones e tablets para os médicos