Hospital Unimed Recife III economiza R$6 mi com operação digital


O Hospital Unimed Recife III (HURIII) entrou para a história da saúde no Brasil em 2016 por alcançar uma conquista inédita na América Latina. A instituição, localizada no Recife (PE), obteve o certificado de hospital digital. Concedido pela Healthcare Information and Management Systems Society (HIMSS), esse reconhecimento é resultado de um trabalho desenvolvido em parceria com a desenvolvedora de sistemas MV durante dois anos para atingir do mais alto nível em tecnologia da informação clínica.

Com o objetivo de garantir maior qualidade assistencial, a adoção das soluções MV foi o pilar para o HURIII ser o primeiro hospital com esse status entre os países latino-americanos. Além de histórica, essa conquista também causa impactos positivos na economia hospitalar. De acordo com o diretor médico do HURIII, Fernando Cruz, o alto investimento é um dos principais desafios do projeto, porém o retorno não só é garantido como facilmente recuperado.

Farmácia clínica

O aprimoramento do circuito fechado de administração com 95% das medicações administradas à beira-leito com dupla checagem, o registro automático no prontuário eletrônico de tudo que é infundido no paciente, a integração da farmácia clínica à equipe multidisciplinar, e a dispensação de medicamentos a partir da separação e identificação por nome do paciente, número do leito e horário da administração, garantiram maior controle ao processo, redução da incidência de erros e uma economia de R$ 820 mil.

Fluxo de pacientes

A inserção de novos protocolos clínico-assistenciais no sistema permitiu um melhor direcionamento das condutas médicas com diagnósticos mais precisos e tratamentos mais assertivos. Isso resultou na redução do tempo de internação e consequentemente, dos gastos em R$ 1,2 milhão.

Auditoria clínica

A integração de todos os departamentos do hospital para armazenamento de dados estruturados e usados por soluções de Business Intelligence (BI) e o processo de auditoria clínica para acompanhamento de toda a linha de cuidado do paciente aumentou o índice de desospitalização e reduziu em mais R$ 4,2 milhões os custos da instituição.

De acordo com Cruz, as preparações para alcançar a certificação da HIMSS nível 7 tiveram início logo após a conquista do nível 6 em 2014. “Foram dois anos ajustando e implantando tecnologias para automatização completa de processos e, principalmente, para mudanças estruturais voltadas ao aprimoramento do atendimento ao paciente”.

 

Anterior Centro de Imagem Rede D’Or inicia atividades no Rio de Janeiro
Próximo IOV recebe certificação internacional de qualidade

Sem Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *