Dinamarca reduz custos em saúde com uso de câmeras em ambulâncias


A região Norte da Dinamarca, chamada Nordjylland, otimizou os recursos de atendimento à saúde da população ao instalar câmeras de videomonitoramento no interior de ambulâncias. Esse novo recurso permite que os pacientes sejam avaliados em tempo real por uma equipe médica remota, que acompanha todo o atendimento emergencial por meio de câmeras IP de alta resolução fornecidas pela Axis Communications. Isso permite solucionar alguns casos ainda na ambulância, e o paciente volta para casa sem ter passado pelo hospital.

unnamedAlém de reduzir custos para a administração pública, a ideia reduziu o número de visitas desnecessárias aos centros de saúde. Os médicos dão sugestões de como tratar o paciente antecipadamente, identificam a eventual necessidade de especialistas e indicam quais hospitais estão mais aptos a tratar aquele caso.

As câmeras, instaladas no teto de onze ambulâncias, são pequenas e geram imagens de alta qualidade mesmo com a vibração do veículo em movimento. O modelo escolhido, AXIS M5014, permite visualizar todo o corpo do paciente e ainda aproximar a imagem em partes específicas para assegurar a boa visualização pela equipe médica.

Para transmitir o vídeo à distância, a região de Nordjylland utilizou a tecnologia Radiocamm, que permite a comunicação wireless entre dois pontos. A transmissão pode se adaptar para diferentes tipos de rede para proporcionar banda larga otimizada. Além disso, a comunicação pode ser via 3G ou 4G, sem interrupções.

“Esse tipo de instalação envolve grandes desafios tecnológicos, incluindo conexão banda larga rápida para a alta taxa de quadros e imagem de qualidade para que a equipe hospitalar remota possa realizar o atendimento correto ao paciente. No Brasil, a equipe da Axis também está disponível para colaborar no desenvolvimento de projetos semelhantes”, declara Andrei Junqueira, gerente de vendas para a América do Sul.

O recurso traria benefícios para o atendimento pré-hospitalar  em regiões remotas, afastadas de centros urbanos, ou para municípios que não possuem atendimento especializado. Mesmo nas grandes capitais, a avaliação remota pode agilizar o atendimento nos hospitais e diminuir o tempo de espera. Na experiência dinamarquesa, que inicialmente seria voltada ao atendimento de crianças e vítimas de derrame, a proposta foi expandida para o os mais de 600 mil usuários do serviço de saúde local.

A maior barreira encontrada pelo projeto foi a falta de hábito de médicos e enfermeiras no uso da tecnologia, o que foi superado ao ser constatada a efetividade do sistema. “Do ponto de vista do paciente, o streaming de vídeo Nas ambulâncias é muito positivo. Esse é o futuro – o médico pode cuidar do paciente ainda na ambulância”, finaliza o consultor sênior de Nordjylland, Søren Aagaard Christiansen.

 

Anterior Fiocruz e Sírio-Libanês consolidam parceria na área de ensino
Próximo HUOL amplia em 62% os atendimentos em fonoaudiologia

Sem Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *