Governo libera R$ 1,7 milhão para formação em Atenção Domiciliar


Recursos são direcionados à Universidade Federal de Santa Catarina, que tem cursos voltados a trabalhadores da saúde com inscrições abertas

A qualificação de profissionais continua recebendo investimentos do Ministério da Saúde. A pasta repassou à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) R$ 1,7 milhão para a oferta de cursos de Atenção Domiciliar por meio da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS).

O curso faz parte do Programa Multicêntrico de Qualificação Profissional em Atenção Domiciliar à Distância, que atua no desenvolvimento de habilidades para qualificar o atendimento prestado nessa modalidade, bem como capacitação de gestores e profissionais para implantar e gerenciar serviços de atenção domiciliar.

A UFSC oferece dois cursos dentro do programa, que foi lançado em 2012 pela UNA-SUS, rede de instituições de ensino de referência que garante educação permanente a profissionais do Sistema Único de Saúda (SUS).

Um deles, “Princípios para o Cuidado Domiciliar”, está com inscrições abertas até dezembro deste ano. O curso tem como objetivo refletir sobre as questões que envolvem os procedimentos mais comuns nos cuidados domiciliares, ressaltando a importância do envolvimento e orientação de familiares e cuidadores nesse processo.

Os interessados podem se inscrever pela plataforma da UNA-SUS/UFSC. Todo o programa é oferecido pela internet de forma autoinstrutiva e é composto por 20 cursos. Já foram realizadas mais de 68 mil inscrições, e quase 20 mil pessoas concluíram módulos.

As seis unidades do módulo abordam temas como princípios éticos e biossegurança no cuidado domiciliar; procedimentos no cuidado domiciliar: sinais vitais, higiene e conforto, sono e repouso, medicação e curativos. Também há sugestões de leituras na forma de artigos, cadernos, guias, manuais e vídeos, que complementam o tema estudado.

Outro curso ofertado pela UFSC é o de “Implantação e Gerenciamento do Serviço de Atenção Domiciliar”, que aborda temas como funcionamento e infraestrutura, processos e mecanismos de seleção, contratação e capacitação das equipes de Atenção Domiciliar e meios de divulgação do SAD junto aos demais serviços de saúde e à comunidade, além dos processos de acompanhamento e avaliação.

O público-alvo das capacitações é composto por profissionais de saúde de nível superior e técnico que estejam inseridos nas Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar (EMAD) e nas Equipes Multiprofissionais de Apoio (EMAP) que compõem o Programa Melhor em Casa, nas Equipes de Atenção Básica e nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), e os profissionais de saúde que trabalhem na gestão dos serviços de atenção domiciliar (SAD) e demais gestores. Alguns módulos são voltados somente para médicos e enfermeiros, outros são restritos a enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Anterior Estudo revela alta adesão por programas de Compliance e códigos de ética na saúde
Próximo Tornar as relações de consumo claras é desafio para operadoras de saúde

Sem Comentários

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *